Cuidado com sua imagem

Algum tempo atrás havia o comercial de um refrigerante na TV que afirmava: “Imagem não é nada, sede é tudo!”. Chamou-me a atenção a expressão: Imagem não é nada, na tentativa de se passar a ideia de que nem sempre o que se vê é a realidade; nem sempre o que se mostra é a verdade.

Concordo com a lógica oferecida, desde que se desperte para a lógica sequencial de que a imagem (o que se mostra ou o que se vê) mesmo que não verdadeira, passa uma mensagem para o receptor. Quem vê assimila algo, mesmo que seja algo errado ou falso; mas, ainda sim capta algo.

O Senhor nos ensina por meio de sua Palavra o princípio de oferecer a Ele o que temos de melhor. Isto não diz respeito somente à parte espiritual (ou religiosa); mas sim ao todo de nossa vida – corpo, inteligência, esforço, dinheiro, roupa, casa, bens, etc. E, destacando a questão da vestimenta, é importante entender que quando nos aprontamos para ir à casa do Senhor adorá-lo, o que vestimos também revela se oferecemos o que temos de melhor (conforme o Seu gosto, e não o nosso). É estranho ver na igreja rapazes com bermudões, camisas de time de futebol, ou trajes semelhantes; normalmente usados em lugares onde não há tanta exigência e rigor, como clubes, estádios de futebol, nossa própria casa, etc.

É estranho, e pecaminosamente perigoso ver moças, e senhoras, com trajes que normalmente são usados para despertar os homens à apreciação. Sei que nessas horas a comum desculpa é que os homens precisam ser mais fortes; mas, mesmo que sejam, resistindo bem à tentação, o só desejo de despertar já se torna pecaminoso.

É também estranho ver crentes usando, sem nenhum critério, peças místicas – cordões, brincos, pulseiras, e outras bugigangas, que passam uma mensagem naturalmente anticristã.

Imagine esta cena: Você me visitando, conversando comigo na sala; morrendo de fome. Então, sente o cheiro de comida, e percebe que é sua comida predileta. Eu o convido para jantar; você, logicamente, aceita. E, quando à mesa, pronto para saborear aquele prato e matar sua fome, você se depara com aquela comida sendo servida em um pinico. Qual seria sua reação? Comeria da comida? Creio que poderia até comer, mas mesmo diante de todas as informações acerca do não uso daquele vasilhame, você veria a comida de forma diferente. Isto é, a comida (o conteúdo) continua a mesma; mas a forma de vê-la é que muda.

Assim é tudo nesta vida. Dependendo da maneira como nos apresentamos, forçamos as pessoas a enxergar algo. O conteúdo pode ser o mesmo (o que é questionável); mas a forma de vê-lo, a forma de entendê-lo, muda. Então, cuidado com sua imagem; pois, somos o Corpo de Cristo; isto é, somos, fisicamente, sua representatividade na terra. Percebe a responsabilidade?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s