Ganhando mais

Nem todo ditado popular deve ser considerado como um axioma, como uma máxima da realidade. Há ditados como “a voz do povo é a voz de Deus” que nem sempre expressam a verdade; ou quase sempre não a expressam. Mas, há ditados que revelam verdades que surgiram por meio da prática, da repetição em massa, da observação por parte de todos; independentemente do lugar, do período, da forma e da pessoa. É claro que há exceções, afinal lidamos com o ser humano – cheio de altos e baixos, inconstante em seu caminho, e que vive descobrindo que pode estar errado em determinadas convicções. No entanto, em geral, tais ditados expressam a realidade.

Uma destas máximas populares é a de que ganha mais quem se esforça mais. Evidentemente deve-se considerar o tipo de esforço; pois, há esforço inútil; esforço tolo; logo, esforço desnecessário. Mas, a ideia refletida é a de que o indivíduo que se entrega, normalmente é recompensado. As Escrituras apresentam princípios e exortações que apontam para o mesmo caminho, como o exemplo da formiga para o preguiçoso, exortando ao empenho (Provérbios 6.6-11). Como a palavra de Cristo de que quem procura acha; quem pede recebe; a quem bate se abre (Mateus 7.7-8).

Considerando esta máxima busco despertá-lo a ser um ajudador no ministério de sua igreja; o que naturalmente redundará em bênçãos para você e os seus. Todos querem muito; às vezes nem sabem o que, mas querem. Porém, não se ajudam ao não ajudarem aos que ministram em seu favor; o que indica um dificultar ao invés de facilitar. Vou exemplificar: Você tem algum problema, e precisa de ajuda. Então, gostaria de ter o apoio do ministério pastoral, ou diaconal, e…, não acontece como gostaria. Por quê? Por que a ajuda existe para outros de maneira tão espontânea e para mim, não? Pode ser que parte da razão seja encontrada na apatia de sua consideração. Provavelmente, os que recebem apoio, buscam, comunicam; provavelmente se dão, isto é, facilitam; quem sabe até tornam o ministrar em seu favor algo agradável, mesmo que extremamente difícil.

Quando Cristo afirmou “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á”, aplicava também àqueles que ministravam em seu favor; pois é uma das maneiras (talvez a mais constante) de Deus agir em favor dos seus.

É evidente que não importa o humor, e o nível de intimidade para o apoio. Com ou seu bom humor, com ou sem intimidade, o auxilio ministerial deve existir, e bem executado (talvez, a maior prova disto seja o fato de que os que ministram deixam de lado os mais íntimos em favor dos menos íntimos); mas, convenhamos que quando o que necessita de auxilio volta-se para o que o auxiliará, procurando, informando, abrindo o coração, isto, em muito, facilita.

Assim, ganhe mais se dando mais. Facilite aqueles que ministram por você; pois isto certamente redundará em bênçãos para você e os seus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s