Saudades de pai

Distintamente todo pai sente (ou sentirá) saudade de certos períodos marcantes. Quero compartilhar quatro exemplos desse tipo de saudade; enfatizando o caminho para sua concretização.

Primeira saudade: Dos sonhos perfeitos para filhos “perfeitos”.

Antes de ser uma realidade no ventre da mãe, os filhos estão na mente do pai. Se, meninos – Bonitos, inteligentes, esportistas, amigos, e corretamente namoradores. Se, meninas – Carinhosas, amigas, inteligentes, e que prefira o pai ao namorado. O pai tem sonhos perfeitos para filhos perfeitos – sem sofrimento, vergonha, decepção, dor. Porém, mais do que as mães, o pai percebe que tais coisas são importantes para sua formação, e às vezes até os providencia. O pai, então, olha para seus pequeninos, com o seu sangue, e com a sua cara ou jeito, e quer o melhor para eles. A saudade existe porque quando alguns crescem escolhem caminhos que implodem por completo tais sonhos. Para que o sonho, com as devidas limitações, se torne realidade o papel do pai é o de direcionar o(a) filho(a) a uma vida com o Senhor (Provérbios 4.10-18).

Segunda saudade: Do filho dependente de sua provisão e proteção.

O pai sente saudade daquele pequenino com braços abertos solicitando seu colo, ou correndo para seus braços em momentos de medo ou de insegurança. Saudade dos pedidos para dormir na mesma cama quando o medo batia à porta. Saudade do abraço apertado em período de tempestade com seus trovões e raios. Saudade do passeio de mãos dadas, onde a alegria e o orgulho da criança eram evidentes. A saudade existe porque alguns quando crescem se afastam, quando não se envergonham de depender dele. No ímpeto de mostrar sua força e capacidade certos filhos não percebem que maltratam ou até mesmo humilham seu pai. Para esta dependência ter continuidade num patamar elevado o pai precisa, sem exagerar na dose, transformando em superproteção, direcionar o(a) filho(a) à dependência da provisão e da proteção do Senhor. Pois o que aprende a depender do Senhor mantém a visão do pai, entendendo seu valor e sua importância para sua vida (Provérbios 4.1-6).

Terceira saudade: Do filho carinhoso, brincalhão, apegado.

Todo pai sente saudades do período em que recebia todo dia, e em todo momento, o carinho de seu filho. Saudade dos pulos em cima dele. Saudade do período em que era um prazer para seu filho beijá-lo, abraçá-lo. Às vezes chegava a incomodar tanto apego, mas todo pai tem saudade de seu filho em seu colo, de seu sorriso e de suas insistentes perguntas, querendo saber de tudo, e achando que seu pai tinha todas as respostas. A saudade existe porque alguns quando crescem tornam-se fechados, frios, sem o calor do amor fraterno. As razões são variadas: escolhas, amigos, vícios, imaturidade, ou mesmo falha em sua criação. Para que este carinho e apego durem, é necessário que o pai se doe ao filho(a), demonstrando prazer com sua proximidade; e antes de tudo, ser carinhoso, apegado a ele(a). Mostrando que a fase adulta não impede o homem ou a mulher de ser carinhoso (Provérbios 4.3, 23).

Quarta saudade: De ser super-herói.

Que tempo maravilhoso para todo pai quando é o super-herói de seus filhos. Tempo em que sua palavra é a verdade, é a resposta certa. Tempo em que tudo o que diz é considerado pelos filhos, por mais incrível que seja. Tempo em que ele é o mais forte, o mais bonito, o mais inteligente, o mais corajoso, o mais confiável, o mais tudo. O pai sente saudade dos desenhos com o corpo atlético dos heróis de quadrinho, mas com o seu rosto colado nele. A saudade existe porque para alguns toda esta confiança se transforma em ingratidão. Para esta visão continuar o pai precisa amar o(a) filho(a), revelando sua realidade – o que é e quem é. É preciso diálogo, tendo a verdade e o amor como sua base (Provérbios 4.1-3, 10, 20).

Estes sentimentos perambulam pelo coração dos pais. Seja pela saudade de momentos alegres, ou pela vontade de recomeçar. Os pais se lembram de momentos e períodos agradáveis que às vezes não perduraram; seja por seus próprios erros ou pela mudança no coração dos filhos. Mas o sentimento está lá, no coração do pai.

Minha oração é que o Senhor conceda a oportunidade para alguns manter a vida agradável que o Senhor tem lhe concedido, tendo estes sentimentos com alegria e gratidão ao Senhor. Já para outros, minha oração é que a misericórdia do Senhor lhes dê a oportunidade de aprumar sua vida para que tenham agradáveis lembranças. E para outros, minha oração é que o Senhor os conforte. Já para os filhos, minha oração é que o Senhor lhes dê consciência e amor por seu pai. Que a consideração seja uma forma de adorar a Deus.

Ame ao Senhor, honrando a seu pai (ou à sua memória).

3 comentários

  1. Feliz são os filhos que tem o Sr. Marcelino como pai.
    Feliz Dia dos Pais …
    Parabéns mano pelas suas palavras que Deus continue te abençoando.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s